A escrita ensinou-me...

by - 23:23

Na escola sempre tive a audácia de pesquisar novas matérias e fazer incessantes perguntas sobre temas que me fascinavam. Fui crescendo e ganhando interesse pela música, cinema e literatura. Acredito que o contacto com o mundo de entretenimento e arte são essenciais para explorarmos mais as nossas capacidades em qualquer ramo. A escrita desencadeia em mim motivação em aprender e passar a mensagem do meu aprendizado.


Compreendo a triste realidade do nosso país, enquanto estudei no exterior procurei saber mais sobre filantropia e adquirir habilidades que poderiam ajudar o meu povo. Fiz voluntariado e conheci pessoas que marcaram a minha trajetória, algumas serviram de inspiração para a minha obra literária e para conhecer-me melhor como pessoa. Antes de ser aceite como voluntária, fui entrevistada e passei por uma série de testes para estar apta para cuidar de crianças com certa deficiência. Para tal é necessário ser honesta, verdadeira e ter um interesse genuíno. Tornei-me mais generosa e sociável depois dessa experiência, e assim transformei a minha escrita em um espelho não só da minha dor mas daqueles que de alguma maneira, contribuíram para o meu amadurecimento como ser humano. 


A oportunidade de ter publicado um livro também tem me aberto inúmeras portas; as feiras de literatura que frequento, mostram-me uma realidade de Angola que desconhecia. Procuro sempre fazer laços com os outros e entender o próximo, fazendo parte de diferentes projectos ou experimentando coisas novas. Tive a oportunidade de fazer parte de um bootcamp (campo de treino que visa disciplina dos participantes) nos Estados Unidos. Tive a iniciativa de começar aprender lingua gestual porque é uma lingua universal; participei de uma formação de liderança de jovens africanos que visa encontrar jovens que pretendem mudar o mundo, etc. Cada iniciativa minha é definitiva para o meu futuro e pretende aliciar o meu talento literário e encontrar nas experiências inspirações para futuras obras.



Acredito que todo artista é sonhador e vê a vida como um mar de oportunidades que devem ser exploradas e para um melhor aproveitamento do meu dom, há necessidade de uma atitude autodidata.





Lunga Izata

You May Also Like

0 comments